Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > PROEX > Encontro de Licenciaturas
Início do conteúdo da página

Encontro de Licenciaturas

Encontro de Licenciaturas e Educação Inclusiva reúne mais de 350 pessoas no Campus Machado 

DSC 0093Para uma efetiva troca de experiências sobre a atividade docente e os rumos da inclusão no contexto da Rede Federal de ensino, o Instituto Federal do Sul de Minas (IFSULDEMINAS) promove, por meio das pró-reitorias de Extensão e Ensino, a terceira edição do Encontro de Licenciaturas e Educação Inclusiva. Cerca de 350 pessoas estiveram em Machado nesta quarta-feira, 31 de outubro, para participar das atividades do primeiro dia do evento. Estudantes, docentes e técnicos administrativos dos campi e Reitoria acompanharam a cerimônia de abertura realizada no auditório do Centro de Excelência do Café. O encontro segue, ainda, nesta quinta-feira, 01 de novembro. (Clique e confira a programação).

Para abrir os trabalhos, foi convidado o anfitrião do evento e diretor-geral do Campus Machado, professor Carlos Henrique Rodrigues Reinato, que deu as boas-vindas a todos. “Hoje, o Campus recebe seis eventos, mas aceitamos o pedido do professor Cleber de sediar o encontro e estamos nos desdobrando para atender da melhor forma possível”, comentou.

Ao fazer uso da palavra, o professor Giovane José da Silva, pró-reitor de Ensino, agradeceu a todos os licenciandos pela presença e elogiou a decisão de cada estudante que escolheu a carreira docente, considerando o cenário atual. “Não é fácil ser professor no Brasil, hoje. Eu queria dizer que vocês não se tornaram inimigos, vocês ainda são a esperança desse país, tenham coragem, resistam, o país precisa da docência”, disse.

DSC 0065Representando o reitor da instituição, o pró-reitor de Extensão, professor Cleber Ávila Barbosa, falou sobre a importância de debater os temas que orientam o encontro, enfatizando que são questões que se complementam. “De imediato, percebemos que houve um efeito sinérgico ao unir a temática das licenciaturas com o evento da inclusão”. Ele aproveitou o momento para agradecer a disponibilidade do campus em sediar o encontro, mesmo com uma grande agenda de eventos na unidade.

Palestra

DSC 0117O professor José Manuel Morán Costas, da Universidade Estadual de São Paulo (USP), ministrou a palestra “Formação docente por meio de práticas transformadoras”. Pesquisador, conferencista e orientador de projetos educacionais com metodologias ativas nas modalidades presencial e a distância, Moran é defensor de práticas inovadoras na docência. Para ele, o sistema tradicional transforma o professor numa máquina de dar aulas e prepara o aluno para obedecer e não para empreender ou criar.

Ao longo da palestra, Moran compartilhou parte da sua experiência. Contou que, com o tempo, foi perdendo o medo de errar, aprendendo com as próprias mudanças. Por sugestão de seus alunos, foi introduzindo mais atividades práticas junto às atividades teóricas, alterando a lógica tradicional, trabalhando o conceito de fazer para aprender. “O ciclo de aprendizagem prática faz todo o sentido com os alunos. É preciso ouvir mais, conversar e negociar com os estudantes”, diz.

O professor chamou a atenção dos licenciandos para a necessidade de ampliar o repertório e de se reinventar frequentemente para acompanhar as mudanças da sociedade. Moran contou que o uso de uma plataforma digital o ajudou na construção de um novo modelo de aula, que denominou como híbrido, com parte do conteúdo das aulas na plataforma. Dessa experiência passou a ver a importância de promover a educação a distância. “inicialmente, essas ações foram ridicularizadas na USP”, disse. Ele considera que a parte mais importante do trabalho de um professor é envolver os alunos e ajudá-los a criar, desenvolvendo uma aprendizagem mais ativa.

Ao final da palestra, a organização abriu espaço para perguntas ao palestrante. Ao ser questionado se a docência vale a pena, Moran defendeu com veemência a atividade. “Compreendo que há muitas razões para não ser professor, mas podemos transformar vidas com a educação. Mostrar aos alunos que eles podem mudar e fazer coisas interessantes. Você tem que gostar de estar com as pessoas, de influenciá-las positivamente, de motivá-las”.

DSC 0125Sobre as dificuldades do atual momento, quando surgem novos defensores de projetos como o “Escola sem Partido”, o professor lembra de todas as dificuldades vividas durante o período da ditadura militar. “O educador não pode ficar em cima do muro, ele não tem a verdade, mas tem a obrigação de ajudar a construir respostas”. Ele conta que quando começou tinha mais certezas, mas hoje se tornou um homem cheio de dúvidas e que isso não deve ser visto como um problema. “Precisamos desarticular o modelo mental do professor que sabe tudo”.

Luciano Martins cursa Licenciatura em Ciências Biológicas no Campus Machado, mas trabalha como eletrotécnico. Ele sempre teve o desejo de se tornar professor graças à admiração que sente pelos professores que o incentivaram a seguir esse caminho. “É fascinante ensinar as pessoas a buscarem conhecimento”, disse.

Experiências exitosas

DSC 0047Na parte da tarde, os participantes se dividiram para assistirem às apresentações de experiências exitosas da instituição. A programação contou com temáticas variadas, como gênero, sexualidade, inclusão, iniciação à docência, tutoria em matemática, tutoria em química, necessidades especiais, dentre outros.

Gabriela Alvarenga é estudante de Ciências Biológicas no Campus Machado e participou da oficina sobre sexualidade e identidade de gênero. Para ela, o assunto deve ser amplamente discutido não só no encontro, mas no dia a dia. “Achei bem legal, pois esse tema precisa ser abordado. É importante discutir a diversidade na sala de aula”.

Estudante do Campus Poços de Caldas, Ingrid Ribeiro também se interessou pela oficina sobre Gênero. "Como estou em um curso de licenciatura, preciso trabalhar esse tema, se ficar só nos conhecimentos de biologia, não serei uma profissional completa. Também acho que precisamos aprender a acolher o aluno na sua diversidade". 

Licencianda em  Matemática do Campus Pouso Alegre, Thaliene Pereira gostou bastante da experiência apresentada por um grupo do Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (Pró-Bid), do próprio campus. "Foi demonstrado como ensinar matemática a partir de recursos pedagógicos e materiais concretos, de forma lúdica nas escolas".  

Estudante do Campus Passos, Marco Túlio Belo participou da oficina que abordou a tutoria em matemática. Ele conta que já percebe as dificuldades no ensino da disciplina porque participa de projetos nas escolas. "Para ensinar temos que ser matemágicos, brincou. Na oficina, foi falado sobre a necessidade de mudar a percepção do professor como alguém autoritário. Para isso, ele precisa se tornar mais amigo dos alunos", destacou.

Texto: Ascom/IFSULDEMINAS - Reitoria

Fotos: Ascom/IFSULDEMINAS - Reitoria e Campus Machado

Data: 01/11/2018

 

Encontro das Licenciaturas - manhã

Encontro das Licenciaturas - tarde 

 

  

Ouça a Federal FM 

 

Fim do conteúdo da página