Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Patente Jacú Digital
Início do conteúdo da página

Patente Jacú Digital

Polo  Agroindústria do Café deposita patente de inovação 

Biorreator para fermentação de café tem sua patente depositada no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI)

O Polo EMBRAPII Agroindústria do Café do IFSULDEMINAS), no  dia 22 de outubro do corrente ano, fez o depósito de patente  noFoto Capa Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), do Biorreator para Fermentação de Café,  a mais recente invenção dentre os  projetos de inovação tecnológica desenvolvidos em parceria com o Polo. O biorreator  Jacú Digital é  um equipamento para fermentação de café natural e cereja descascado, processo que ocorre por meio  de controladores e sensores 100% automatizados. 

O Jacú Digital é uma inovação criada a partir da parceria entre o Polo Agroindústria do Café, IFSULDEMINAS e a empresa CAMPOTECH,  que atua com o desenvolvimento de produtos e soluções para o agronegócio. A empresa pertence ao grupo HIGH-Z VALE INDÚSTRIA ELETRÔNICA LTDA, com sede na cidade de  Santa Rita do Sapucaí/MG. 

O coordenador do projeto é o Diretor Geral do Polo Embrapii, professor Leandro Paiva, juntamente com a pesquisadora Dalilla Carvalho Rezende, estes contaram com a colaboração dos discentes pesquisadores,na execução do projeto. 

O professor Wellington Marota, coordenador de Propriedade Intelectual do Polo, foi o responsável pelo acompanhamento e elaboração do pedido de patente ao INPI, com o apoio da Coordenadora Geral do NIT - IFSULDEMINAS Adélia Maria Spacek Dantas de Oliveira.

Todo o projeto foi pensado visando o processo de fermentação do café. Essa  prática deixou de ser somente para retirada da mucilagem do café, que poderia ser um complicador para a secagem, passando a ser uma solução de diversificação de café e seus sabores. Com parâmetros otimizados e culturas de leveduras adequadas para a fermentação, esses processos podem conferir atributos desejáveis à bebida. Conduzindo a uma maior diversificação de sabor e aroma do café.

WhatsApp Image 2021 11 05 at 20.42.13 1A solução foi um equipamento eficiente que consegue dar condições de temperatura, movimentação de grãos e/ou aplicação das leveduras.O Jacú digital é único do mercado, totalmente automatizado, por meio de sensores digitais que monitoram  todo o processo de fermentação, levando em consideração diversos fatores, como o controle da temperatura, pressão, fluxo e pH. Todo o monitoramento pode ser feito remotamente por meio de um aplicativo.

Além de contar com um sistema inteligente, que informa todas as etapas, até a finalização de todo o processo, o sistema tem a opção de salvar informações de processos anteriores, para ser utilizado novamente em novos lotes maiores, mantendo a mesma qualidade, o que não era possível anteriormente em outros processos de fermentação.

Todo esse processo viabiliza ao produtor uma competitividade no mercado de cafés exóticos, elevando o acréscimo de 3 e 5 pontos, de acordo com a fermentação, na sua classificação e pontuação final.

O Jacú digital teve seu lançamento na Semana Internacional do Café de 2021, com excelente aceitação pelos participantes.(clique aqui para assistir a matéria na íntegra) De acordo com o professor Leandro Paiva, “o retorno em relação ao equipamento e todo o processo está sendo muito positivo,” ele ainda acrescenta que “a expectativa agora é que o equipamento esteja disponível e em funcionamento em algumas fazendas, pois, como todo o sistema é baseado em uma inteligência artificial, o armazenamento de dados e informação,  acaba gerando as melhores fermentações ao produtor”.

Segundo o Chefe Executivo da CAMPOTECH, Rodrigo Mira, “o fermentador Jacú Digital, vai facilitar a vida do produtor” ressaltando a autonomia  de todo o processo que a tecnologia entrega.

 

 Clique aqui para saber mais sobre nossos projetos e a unidade Polo Agroindústria do Cafe do IFSULDEMINAS.

Texto: Embrapii do IFSUDEMINAS
Data: 18/11/2021
 
Fim do conteúdo da página